Quarta, 19 de Junho de 2024
26°

Tempo limpo

Sapé, PB

Paraíba Desastre

Terremotos podem afetar Paraíba e outros estados do Nordeste nos próximos anos, revela estudo

Terremotos podem chegar aos 6,2 graus de intensidade, segundo o estado. Abalos podem ter potencial de grande destruição.

19/05/2024 às 11h55
Por: Redação Fonte: ClickPB/Halan Azevedo
Compartilhe:
Imagem ilustrativa (Foto: pixabay)
Imagem ilustrativa (Foto: pixabay)

Terremotos de magnitude 6,2 graus podem começar a afetar a Paraíba e outros estados do Nordeste. A previsão foi divulgada pela Rede Sismográfica Brasileira (RSBR) a partir de um estudo do Catálogo Sísmico Brasileiro (SISBRA).

Continua após a publicidade

Como observado, o estudo considera a região Nordeste um local estável no quesito de abalos sísmicos. No entanto, nos próximos 50 anos, a região tem chance de registrar terremotos com potencial de destruição.

 

 

 

“Nossa análise mostrou que no Nordeste, em 50 anos, terremotos de magnitudes de 4,7 a 5,1 têm probabilidades de ocorrência de 50% (relevante para estruturas civis, como casas e prédios), e de magnitudes 5,5 a 6,2 têm probabilidades de 10% (relevante para obras civis de grandes dimensões, como barragens, parques eólicos, mineração, usinas hidrelétricas e nucleares)”, destacaram os autores do estudo.

O estudo também pede que as autoridades acordem para a importância de ações preventivas. A pesquisa foi conduzida pelos pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), José Augusto Silva da Fonsêca e Aderson Farias do Nascimento (professor coordenador do LABSIS, que integra a RSBR), e do professor do Institute of Geophysics Polish Academy of Sciences, Stanisław Lasocki.

O estudo completo pode ser lido clicando aqui.

Veja abaixo um mapa que mostra o estudo dos terremotos no Nordeste:

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias